Arquivo da categoria: Guia de tênis

Asics Nimbus 15

No dia que cheguei das minhas férias a tristeza foi aliviada com um presente da Asics (aka MKT MIX) que me esperava no sofá: um lindo Asics Nimbus 15.

Pra ser bem sincera andei meio de bode do Nimbus nos últimos tempos.

Sim, acho que ele é um tênis mais pesado e bom pra treinos longos, mas nem nesses treinos de mais de 3 horas me sentia confortável com ele pois achava muito parrudão e pesado demais.

Mês passado a Asics lançou a décima quinta versão do modelo:

 

nimbus3

 

Na primeira vez que corri com ele usei meia e não gostei.

Tive a impressão de que está mais leve do que as versões anteriores (não usei o 14, parei no 13) e isso me empolgou quando peguei pela primeira vez, mas ao correr me decepcionei, não sei exatamente o que me incomodava mas alguma coisa tinha.

Apesar de ter achado que ele cala muito melhor que o outro, que possuia a parte de tr~´as muito baixa dando a impressão que o tênis sairia do pé. Segunda chance novamente com meia.

Meus pés formigaram e senti dificuldades em dar o laço nos cadarços, a meia era meio fina mas mesmo assim ele apertou o peito do pé. Terceira chance já desacreditada resolvi usar sem meia e me surpreendi: parecia que estava usando outro tênis!

Além do mais gostei das cores e do detalhe dos calcanhares (material respirável + refletivo), acho que esse entra pra turma do tênis de longos.

O Nimbus 15 pesa 266 gramas, é para pisada neutra/supinada e custa R$600,00.

Mas  fica a dica, se achar alguma coisa meio esquisita tente correr sem meia!

Rainha Fluid Run

E quem não se lembra da marca RAINHA lá pelos anos 80?

Mil anos depois a marca se reinventa e dá as primeiras passadas no mundo do running lançando o RAINHA FLUID RUN.

Essa semana recebi em casa uma caixa grandona que me deixou bem ansiosa, já que continha, além de uma almofada FOFA, um tênis que eu jamais havia usado.

 

Decidi arriscar e usá-lo no treino de Fartlek, o treino mais importante da semana.

O tênis tem 295 gramas e conta com as tecnologias Fluid System Gel, que absorve e distribui o impacto por todo o calçado, deixando a corrida mais leve e suave; a FixFit que garante melhor fixação do pé no tênis; Stability Pro, que consiste numa placa estabilizadora que evita torções e a SysMesh, que permite que o pé respire e continue seco durante todo o percurso.

 

Usei apenas uma vez mas acho que ele cumpre mto bem o papel de um tênis de entrada.

Não recomendaria para treinos longos pois não possui muito amortecimento, eu pessoalmente gosto de tênis mais macios para correr mais de uma hora) mas gostei demais de fazer FARTLEK com ele.

É bonito, bem acabado e abraça bem os pés e o melhor: custa R$199,00

A pisada é neutra.

Saucony Triumph 9

A Saucony é uma marca bem forte lá fora, mas como brasileiro é meio cabeçudo e não se abre muito para coisas novas, eles ainda não são tão fortes assim por aqui.

Corri com o Triumph 9 algumas vezes antes de falar sobre ele porque estou meio desacostumada com tênis mais parrudo, e não soube bem como e o que dizer.

Segundo a Saucony:

Mais próximo do solo e mais leve do que nunca, o Triumph 9 entrega um confortável suporte para o corredor neutro. Com o ajuste do “Drop” do calcanhar até a ponta do pé de 12mm para 8mm (quanto menor o drop, mais perto do chão fica o pé), ele promove uma distribuição mais equilibrada e eficiente durante toda a passada.

Achei um tênis bom para treinos longos de asfato.

Apesar de o fabricante dizer que é um tênis leve, não achei muito. Não que ele seja pesado, mas é mais parrudo como eu disse antes, meio irmão do Asics Nimbus ou Kayano, ou até mesmo do Mizuno Creation

São tênis com bastante amortecimento e com mais estrutura.

 

Indicaria ele para corredores mais pesado e maratonistas.

Gostei muito de seu ajuste no pé, e do amortecimento que ele possui na metade da frente do pé, já que procuro me policiar para sempre correr sem socar o calcanhar.

Além disso gostei também do cadarço, feito de um material diferente dos demais, permite apertar e soltar sem grandes dificuldades.

Pisada: Neutra

Preço: R$599,00

Pegasus +30 e Mo Farah

Tá MUITO chegando a hora do lançamento do Pegasus +30 no Brasil.

Esse tênis (na versão 25) foi meu primeiro Nike de corrida e primeira paixão da marca, deixei de usá-lo pois o troquei pelo Glide mas esse 30 que vai chegar certamente não escapará do meu teste!

Por falar nisso, quem é fã do pesagus é o fundista  Mo Farah. Ele foi  O CARA em Londres,  ganhou os 5 mil e 10 mil metros. E agora no Mundial de Atletismo em Moscou foi ouro nos 10 mil e nesta sexta-feira, disputa os 5 mil.

Ele até desafiou o velocista Usain Bolt para uma corridinha – em prol da ong dele. Falta acertarem os detalhes.

 

 

Aqui videozinho do CARA falando sobre o gostinho de subir no pódio e ele correndo com o pisante:

Nike Vomero +8

É a segunda vez que faço a linha do tempo de um tênis e apesar de ser uma tarefa meio chatinha de montar, sinto muito prazer em pesquisar!

É muito gostoso ver a cara deles hoje e como eram anos atrás, outro dia fiz do FREE e do Nike LunarGlide lembram?

Agora é a vez do Vomero. Nos primeiros anos de corrida usava muito Pegasus (até o 26),  até que um dia ganhei um Vomero e me apaixonei, isso foi em 2010, mas nunca gostei mais dele do que do Pegasus PRA SER SINCERA.

 

O Vomero é um tênis da categoria AMORTECIMENTO, inclusive antes eu o considerava um tênis mole até demais.

mas me surpreendi com a última versão do modelo:

vomero

Primeiro pq achei ele com o bico mais fino, uma tendência que gosto muito, acho péssimo tênis com aspecto grosseiro, curto mais uma coisa FIT.

Depois pq achei ele com um pouco mais estável, o que é bom tendo em vista que da última vez que corri de Vomero em todo momento tive a impressão que de viraria o pé, como disse antes: era um tênis molenga.

De acordo com a NIKE:

  • Cabedal (Parte Superior Externa):  Em mesh (tipo de malha de poliéster com tramas abertas) que promove leveza, flexibilidade e maior ventilação interna com detalhes em material sintético
  • Entressola: Tecnologia Nike Zoom (permite resposta rápida de movimentos durante a passada, oferecendo proteção contra impactos e maior estabilidade), Tecnologia Cushlon (espuma ST que oferece resistência, durabilidade e apoio, com uma incrível sensação de maciez e conforto).
  • Solado: Borracha com Tecnologia BRS1000 (borracha de carbono nas áreas de maior atrito, proporciona ao tênis maior durabilidade) e Tecnologia Duralon (borracha macia e flexível de boa durabilidade)
  • Tipo de Pisada: Neutra e Supinada 
  • Palmilha: EVA forrada e removível; conforto e facilidade na higienização com Sistema Fitsole (maior amortecimento, suporte e apoio)
  • Peso Aproximado: 240 g Tam 35 (O peso varia de acordo com a numeração)

A sola dele é no famoso formato WAFFLE, diferente do Glide e dos outros tênis da nova geração. Gosto muito!

Demorei alguns treinos para ter uma opinião formada sobre esse t~enis pois em alguns momentos achei ele meio duro, mas hoje já tenho outra impressão é está aprovado, segura muito bem um treino curto e mais ainda um longão.

preço: R$499,00

Mizuno Wave ProRunner 16 Edição Especial

O Prorunner está na lista de Top5 para treinos longos há tempos. Falei dele outro dia aqui.

E aí o cansaço da Maratona do Rio tá vindo por esses dias e na Segunda-Feira cheguei em casa depois da musculação muito decidida a não correr na Terça. Mas estava decidida mesmo!

Então o porteiro me entregou uma sacola com uma caixa da Mizuno que quando abri o coração disparou:

My Photo

Quase uma obra de arte pintada à mão.

Era o Mizuno Wave Prorunner 16 feito especialmente para comemorar os 30 anos do RUNBIRD, o símbolo da Marca que segundo os japoneses simboliza a união do esporte, energia e espaço sem fim.

Essa edição especial AND de colecionador foi feita inspirada nas galáxias e apenas 100 pares estão circulando pelo Brasil, sendo que eles não serão comercializados.

Ele tem a placa wave PRATEADA, tipo estrela cadente e por dentro a indicação do trigésimo aniverário.

Ou SEJA: desisti de matar o treino.

Me sinto muito feliz em fazer parte destas 100 pessoas mas queria muito muito que as amigas também pudessem tê-lo, espero que a Mizuno mude de idéia e passe a vendê-lo, como é vendido o do aniversário do ano passado (aniversário do modelo Prorunner).

Nike LunarRacer +3

Quem me acompanha no Instagram viu que usei esse tênis num training camp que fiz em Petrópolis há alguns meses.

Não, ele não é um tênis de rodagem nem muito menos de trilha, mas eu tinha acabado de adotá-lo na coleção e não consegui escolher outro para viajar. Não me julguem!

O Racer é um tênis de performance, na primeira vez que o vi achei q fosse bom apenas para provas curtas mas ao treinar algumas vezes com ele (inclusive na terra) percebi que ele aguenta tranquilamente uma meia ou até mesmo uma maratona.

No entanto, é um tênis que tem a cara de ter uma vida útil curta, então se vc está pensando em adquirir um minha sugestão é não descabelar com ele por aí. Tive essa mesma sensação com o Hayasa da The North Face (leia o post) e estava certa, usei tanto o meu que hoje ele está só o fio da linguiça.

É daqueles que possuem poucas ou nenhuma costura e que abraçam bem o pé, possui a tecnologia FLYWIRE que são os cordõezinhos que ajustam ainda mais o calçado. É super levinho e fresquinho.

 

O solado segundo a Nike:  pistões em waffle, que absorvem o impacto e, em seguida, saltam para a sua forma original dando maior resposta no impulso. Cortes profundos ao longo do comprimento e largura da base aumentam a flexibilidade e oferecem uma passada mais neutra e eficiente. Segmentos estrategicamente colocados de borracha de carbono BRS 1000 em locais de alto desgaste, o que melhora a durabilidade e tração.

Well, adorei.

Só gostaria de poder usá-lo mais vezes sem que ele acabe logo.

 

Como lavar meus tênis de corrida

Esse assunto nem viraria post no blog,  seria apenas um na Fanpage mas como o assunto rendeu resolvi falar sobre isso aqui.

Postei uma foto da minha máquina de lavar com meus tênis depois de lavados e centrifugados.

1069126_295814697229617_1688000665_n

Quem me ensinou isso foi minha mãe, ela é meio neurótica de limpeza e vivia lavando meus tênis. A idéia de jogá-los na máquina me assustou por algum tempo mas depois que fiz uma vez nunca mais tentei outra coisa!

Já esfreguei tênis no banho, já sentei no chão da área de serviço, já suei mais lavando o tênis de trilha do que correndoenfim, e há alguns anos a gente só lava assim em casa.

Meu irmão deu a dica de nunca usar água quente pois ela deforma a borracha e pode encolher seu pisante, e a leitora letícia Abreu deu a dica de  colocar naqueles saquinhos com zíper que serve para peças delicadas, pois assim a durabilidade será maior evitando até mesmo que descole detalhes ou o solado

No mais é isso, eu jogo uns 4 ou 5 pares na máquina de cadarço (amarrados com 2 laços) e tudo, só tiro as palmilhas e jogo junto, coloco um pouco de sabão líquido e eles saem de lá limpinhos e quase secos. Nunca estraguei nenhum tênis e nunca tive problemas com a máquina (que não é das mais mudernas!).

Outra coisa que o post no Facebook serviu foi pra constatar que os homens não lavam tênis, lavam apenas os pés.

Pode produção?

Tem coragem?

Post da Maratona do Rio 2013

Desta vez não vou falar sobre o tempo, sobre o sofrimento, sobre a experiência de correr a maratona nem nada dessas coisas que costumo falar.

O que gostaria de compartilhar é que nesse final de semana as coisas que já faziam sentido passaram a fazer mais sentido ainda, sempre tive certeza das razões pelas quais escrevo esse blog, só que nesse finde isso tomou outra proporção na minha cabeça.

Independente de ter feito uma prova incrível, de ter terminado tudo feliz e satisfeita, o que mais tocou meu coração foi ter me sentido queria por tantas pessoas, por amigas, por vocês.

A vida não é suave, a rotina de treinos não é um mar de jujubas e hoje vejo que a melhor escolha foi ter ido pro Rio correr, foi uma energizada que veio na hora perfeita!

Tudo aconteceu de repente, sem planos, sem expectativas e no final das contas todo o contexto da minha primeira maratona foi infinitamente melhor do que eu esperava e não tem como não compartilhar isso com vocês  minhas leitoras (e leitores) queridas e responsáveis por isso.

Obrigada por cada grito, cada abraço, cada palavra de carinho, PELA GARRAFINHA DE COCA-COLA que foi tipo um orgasmo no km 32 (obrigada Rosa!)pelos novos amigos (Bueno, Francisco e Eufrásio) que me deixaram alinhar com eles durante quase toda a prova

(Com a  querida Isabel Scisinio, que me deu um abraço priceless na chegada.)

 

Com o trio de anjos da guarda!

1045122_672656726084564_1638538523_n

972040_672657242751179_797433044_n

1002438_688032674544921_1173807498_n

 

 

Enfim, quando alguém me perguntar por que escrevo esse blog talvez eu não nunca consiga colocar tudo isso numa frase para responder.

Mas também quando a gente faz algo genuíno e de coração não precisa de motivo e nem de resposta, né?

Obrigada suaslindas!

Mizuno Wave Sayonara

Semana retrasada estive no showroom da Alpargatas e pude conhecer a nova coleção da Mizuno, tanto de tênis quanto de vestuário.

Confesso que uma das melhores coisas que o blog me proporciona (depois da parte de fazer amigas e incentivar pessoas) é poder conhecer e compartilhar em primeira mão as coisas novas que chegarão no Brasil.

A gente sabe que aqui é tudo difícil, que por mais que hoje em dia estejamos caminhando para acompanhar o mundo, as coisas mais legais demoram para chegarquando chegam.

Tenho percebido que as marcas estão levando o Brasil Corredor mais à sério e isso tem me animado muito, pois um dos maiores estímulos que tenho para correr é a moda da corrida, coisa pela qual sou APAIXONADA!

No final das apresentações dos novos produtos ganhamos uma mala fofucha, umas roupas e um par do novo Mizuno Wave Sayonara.

Quando peguei no tênis já sabia que ele entraria nos Top 10, dificilmente aposto num equipamento e ele me decepciona, acho que os anos de tentativas ensinaram alguma coisa. Achei ele meio na pegada do Asics Speedstar, um modelo que está na lista de favoritos há muito tempo.

O Sayonara é levinho, abraça bem o pé (coisa que tenho achado de suma importância) pois não tem costuras, segura um treino longo e funciona bem também num tiro curto.

 

As tecnologias:

– U4ic (se pronuncia EUFORIC): criado e patenteado pela Mizuno, o novo EVA com a tecnologia U4ic foi desenvolvido com uma nova composição de polímeros fazendo com que fique 36% mais leve do que um EVA comum, resultando em uma textura muito mais macia e de alta absorção de impactos.

– Nova Placa Wave: Redesenhada, a placa agora está mais fina e com espaços estrategicamente posicionados nos pontos de flexão, o que a torna muito mais flexível.

– Solado com X10 uma borracha com carbono que aumenta a durabilidade e com a famosa tecnologia G3, que consiste em aplicações de borracha em tecido na sola, diferencial que proporciona maior grip ao terreno, seja asfalto ou terra, diferencial que acaba ajudando o atleta a ter ainda mais estabilidade e confiança para correr.

Nessa semana de recuperação pós 50k só corri com ele e foi ótimo, por mais que seja um tênis baixo e leve, ele possui um digno amortecimento!

Aprovado!

Preço sugerido: R$ 399,90 / Pisada neutra / Chega no Brasil em Agosto

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *